Os Grandes Princípios Batistas – BATISMO E CEIA COMO ORDENANÇAS E NÃO COMO SACRAMENTOS

Considerar objetos como sagrados leva a santificá-los. Aí surgem duas irmãs gêmeas: a idolatria e a superstição. Por isso reafirmemos: não temos sacramentos e repudiamos a espiritualização de símbolos e de gestos. O transmissor de graça é o Espírito Santo. Ele habita em nós, se somos convertidos. Se alguém não é, pode se afogar nas águas do Jordão, ficar com barriga d’água de tanto beber água ungida pela oração do pastor, que isso não adiantará nada. A fé deve ser posta em Deus e não em coisas nem em gestos nem em ritos. Um batista que preze sua identidade não se envolverá com o fetichismo neo-sacramentalismo pentecostal.

Cultuando com trajes santos

O tributo de adoração ao Senhor tem que ser revestido de caráter de santidade que aponte para a glória de Deus. Ou seja: Todo o nosso comportamento – inclusive a roupa que colocamos para vir adorar – deve fazer de nós verdadeiros adoradores e levar as pessoas que conosco estão a se voltarem ao próprio Cristo em glorificação.

A vara e a disciplina

A vara com a qual o meu Pastor Sublime me conduz (acho que tange seria apropriado!) é a demonstração palpável de seu cuidado. É o pastoreio que me toca, indica o caminho das águas tranquilas, serve de referência enquanto ando pelo vale da sombra da morte e, quando indispensável, ela é usada para me trazer de volta, ainda que para isso tenha que me puxar com força!

Intimidade

Quando olho para o tema da intimidade à luz da Bíblia meus olhos são levados a instrução de Cristo: entra no teu quarto … É a experiência do quarto fechado, como costumo chamar, que me dá toda a relevância do conceito de intimidade no âmbito de minha vivência cristã.

Os Grandes Princípios Batistas – A SEGURANÇA ETERNA DOS SALVOS

A salvação é eterna. Não é temporária nem parcial. O assunto foi resolvido de uma vez por todas na cruz. Cristo não deu uma entrada e deixou as prestações para pagarmos. Pagou tudo, de uma vez. Seu sacrifício foi suficiente, único, irrepetível e perfeito. E o preço pago por ele foi seu próprio sangue. No processo da salvação, não somos o agente, mas Jesus Cristo o é. E sua obra é perfeita. A salvação não depende de nós, mas dele. Ele não rejeita o pecador que vem a ele, nem se arrepende de nos ter salvado.

Por que eu erro

Sozinho nada posso fazer e por isto mesmo só me manterei com servo leal a Cristo se depositar toda a minha confiança do poder absoluto do Senhor. O crente só se mantém firme quando conhece em sua própria vida o poder de Deus. É na convivência e na experimentação deste poder na vida cotidiana que poderei seguir os passos do Senhor sem tropeços nem erros.

Os Grandes Princípios Batistas – O BATISMO CONSCIENTE DE CRENTES

O batismo não regenera. Deve testemunhar a regeneração. O batismo consciente de adultos faz com que a igreja se componha de convertidos. Só se pode ser membro da igreja pelo batismo e este só pode ser aplicado a pessoas conscientes do que fazem.

O culto como anúncio

Se nós nos encontramos com Cristo no culto então a nossa celebração é também uma denúncia da separação entre Deus e seres humanos e também o anúncio de que Cristo já veio em resgate desta humanidade oferecendo-lhe solução para todos os seus problemas espirituais, psicológicos e sociais.

Parábola das coisas – um chinelo

Já pensou que seguir a Cristo também tem que ser assim: como um chinelo. A vida cristã é para ser uma experiência vivida como algo tão íntimo e pessoal como um chinelo: familiar e bem à vontade!

Palavras semitas no NT grego

A fé e a cultura de Israel estão na origem do cristianismo. E não é de se estranhar que várias expressões da língua daquele povo estejam presentes no texto do Novo Testamento grego. Até porque os próprios autores – em sua maioria – tinham também esta origem. Veja a lista de alguns palavras e expressões de origem hebraica ou aramaica que podemos ler no NT.

Onde o Soberano coloca os meus pés

É lá nas alturas que experimentamos do Senhor. Ainda é lá que sentimos os pés deixarem o pântano para se firmarem sobre a rocha. E nos lugares altos o Soberano nos dá uma visão privilegiada de sua glória e de seu poder. Ali Deus posta os nossos passos.