A importância da Escola Bíblica

A Escola Bíblica Dominical (EBD) é peça fundamental no contexto da Educação cristã. Quando pensamos na educação como mecanismo de formação e aperfeiçoamento do caráter cristão, temos, depois do lar cristão, na EBD a melhor opção, sendo esta a única ferramenta da igreja local, voltada especificamente para esta finalidade.

Conselhos bíblicos sobre adoração e culto – O CULTO DE NOÉ

Logo ao sair da arca, Noé construiu um altar para Deus e ali sacrificou em celebração e adoração. Aquele homem entendeu que assim deve ser o culto. E a partir da sua experiência podemos com certeza aplicar as lições em nossa adoração e em nosso culto.

Mensagem da Páscoa – 2017

Na páscoa, nós, os seguidores de Cristo somos impulsionados a um profundo mistério, um mistério diante do qual nos maravilhamos. Contemplamos este mistério que nutre nossa fé e enche nosso coração de assombro, amor e louvor.

Conselhos bíblicos sobre adoração e culto – CAIM E ABEL

Do oferecimento de Caim e Abel, lá tão próximos da origem de todos nós, podemos aprender lições importantes e trazer aplicações necessárias para que nosso culto e adoração hoje sejam dignos do verdadeiro Deus.

Adoração em Apocalipse – e nós?

Depois de ler em Apocalipse que: são sempre os que temem a Deus quem louvam e somente Cristo é merecedor de adoração; devo fazer a pergunta: E quanto a nós hoje?

Fruto do Espírito – lista

Na sua carta aos Gálatas, o apóstolo Paulo fez uma relação do que seriam as características do Fruto do Espírito. No grego a palavra está no singular mesmo: fruto. Veja a seguir o quadro comparativo das palavras gregas presentes no texto, sua tradução e outras citações:

Há novidades

O novo, o inusitado, o surpreendente e o inesperado sempre acompanharam o Cristianismo. Conceitos como estes foram, e continuam sendo, muito caros para nós. A própria definição de evangelho passa por esta ideia básica: o bom anúncio, a boa notícia, a novidade.

O que a Bíblia NÃO diz sobre anjos

A figura dos anjos está ampla e variadamente misturada em nossa tradição cristã. E, embora não haja nenhum capítulo que trate especificamente de sua descrição, eles são citados na Bíblia com freqüência. É verdade também que aqui e ali acrescentamos algum “conhecimento” herdado de outras tradições não-cristãs, fazendo com que a noção destes seres se tornasse mística, quase folclórica ou mitológica.
Veja na relação sete coisas que a Bíblia não diz sobre os anjos, mas que muita gente acredita e prega por aí.

Salmo 112 – uma leitura

Estes atributos podem muito bem ser encontrados em Davi, quando demonstrou o valor da lealdade. Diante de um homem assim devemos então prestar uma palavra de louvor ao nosso Deus: Aleluia! Deus seja louvado nas vidas de seus servos!

Os Grandes Princípios Batistas – A AUTONOMIA DA IGREJA LOCAL

A pedra de toque do processo batista é a igreja local. Somos congregacionais desde nossa origem: o governo pertence à congregação local e ela não está sujeita a nenhuma outra instância.

Vamos à casa do Senhor

Daí a compreensão de que culto é memorial dos atos poderosos de Deus na história, é gratidão pela libertação, é submissão à soberania inconteste de Jesus e é celebração pela vitória final de Cristo e suas hostes. Agora fazem sentido as palavras do salmista: “Alegrei-me com os que me disseram: Vamos à casa do Senhor!” (Sl 122:1).

Parábola das coisas – o motor

O ponto de partida da comparação é a realidade de que o motor é sempre parte de um todo maior. Não faz sentido ter um motor que não esteja devidamente colocado em um carro. E nem aquele conjunto de coisas será de verdade um automóvel sem que nele esteja colocado um motor.

Parábola das coisas – o motor

O ponto de partida da comparação é a realidade de que o motor é sempre parte de um todo maior. Não faz sentido ter um motor que não esteja devidamente colocado em um carro. E nem aquele conjunto de coisas será de verdade um automóvel sem que nele esteja colocado um motor.

Calendário judaico antigo

A pretexto de curiosidade apenas, aí está o calendário – relação de meses – como costumeiramente o povo judeu distribuía o seu ano. Ainda por curiosidade, compare com a relação das festas judaicas.