Adoração em Apocalipse – e nós?

Depois de ler em Apocalipse que: são sempre os que temem a Deus quem louvam e somente Cristo é merecedor de adoração; devo fazer a pergunta: E quanto a nós hoje?

Há novidades

O novo, o inusitado, o surpreendente e o inesperado sempre acompanharam o Cristianismo. Conceitos como estes foram, e continuam sendo, muito caros para nós. A própria definição de evangelho passa por esta ideia básica: o bom anúncio, a boa notícia, a novidade.

Vamos à casa do Senhor

Daí a compreensão de que culto é memorial dos atos poderosos de Deus na história, é gratidão pela libertação, é submissão à soberania inconteste de Jesus e é celebração pela vitória final de Cristo e suas hostes. Agora fazem sentido as palavras do salmista: “Alegrei-me com os que me disseram: Vamos à casa do Senhor!” (Sl 122:1).

Parábola das coisas – o motor

O ponto de partida da comparação é a realidade de que o motor é sempre parte de um todo maior. Não faz sentido ter um motor que não esteja devidamente colocado em um carro. E nem aquele conjunto de coisas será de verdade um automóvel sem que nele esteja colocado um motor.

Parábola das coisas – o motor

O ponto de partida da comparação é a realidade de que o motor é sempre parte de um todo maior. Não faz sentido ter um motor que não esteja devidamente colocado em um carro. E nem aquele conjunto de coisas será de verdade um automóvel sem que nele esteja colocado um motor.

Jabulani

Passada uma semana da tragédia que vitimou mais de setenta pessoas ligadas à Associação Chapecoense de Futebol – e a comoção que se seguiu – e para que também a dor não caia na vala comum do esquecimento; quero publicar aqui este texto que escrevi em junho de 2010, no ensejo da Copa do Mundo de Futebol ocorrida naquele ano na África do Sul. Com ele eu me solidarizo com os que choram (Rm 12:15), acreditando porém que relembrar motivos de celebração pode ajudar neste momento de perda e dor; orando ainda para o Senhor confortar os corações enlutados.

Videira verdadeira

Jesus observa que, mesmo ligados a Ele, há as varas que dão frutos e há as que não dão. Assim é na igreja: há os crentes que frutificam e há os que não frutificam, ou seja, alguns trabalham e outros dão trabalho!

No tempo e no lugar de Deus

Como seres humanos que somos, estamos inseparavelmente submetidos às limitações do espaço e do tempo, por isso devemos considerá-lo quando vamos até a presença de Deus para cultuá-lo.

Hinos instrumentais

Voltando aos velhos hinos, eles também são um impressionante testemunho de uma outra época e de uma outra agenda teológica da qual nos referimos às vezes com certo ar de nostalgia ou de verdadeira saudade

Conhece-te a ti mesmo

Ao trazer este tema para o contexto da celebração cristã, Paulo estava dizendo compreender que embora a Ceia seja um momento gregário, daí ser comunhão e requerer comunidade, ela, como toda a celebração, adoração e culto público pressupõe que antes deve haver a experiência do quarto fechado. Assim, hoje, quando trago os elementos para a Mesa do Senhor na comunhão da igreja devo primeiramente já ter comungado como Pai que vê em secreto.

Antes do burburinho

Como de costume, hoje eu acordei antes do burburinho da cidade. Em especial hoje quem me tirou da cama foi o despertador, mas não vejo isso como um problema, pois temos uma cumplicidade amigável.

Cultuando com trajes santos

O tributo de adoração ao Senhor tem que ser revestido de caráter de santidade que aponte para a glória de Deus. Ou seja: Todo o nosso comportamento – inclusive a roupa que colocamos para vir adorar – deve fazer de nós verdadeiros adoradores e levar as pessoas que conosco estão a se voltarem ao próprio Cristo em glorificação.

A vara e a disciplina

A vara com a qual o meu Pastor Sublime me conduz (acho que tange seria apropriado!) é a demonstração palpável de seu cuidado. É o pastoreio que me toca, indica o caminho das águas tranquilas, serve de referência enquanto ando pelo vale da sombra da morte e, quando indispensável, ela é usada para me trazer de volta, ainda que para isso tenha que me puxar com força!