A vara e a disciplina

A vara com a qual o meu Pastor Sublime me conduz (acho que tange seria apropriado!) é a demonstração palpável de seu cuidado. É o pastoreio que me toca, indica o caminho das águas tranquilas, serve de referência enquanto ando pelo vale da sombra da morte e, quando indispensável, ela é usada para me trazer de volta, ainda que para isso tenha que me puxar com força!

Quanto ao espírito enganador

Li com cuidado o texto de 1Rs 22:21 e andei observando alguns comentários. Realmente este é daqueles textos que exigem uma certa dose de arquitetura teológica para tratá-lo sem simplesmente descartar.

SOBRE OS ANJOS DA GUARDA – como entender Mateus 18:10?

O mais importante na passagem de Mt 18:10 é o destaque que Jesus dá ao cuidado com os seus. Se o Mestre sugere que é melhor arrancar braço, perna ou olho do que fazer tropeçar um dos seus pequeninos; se até os anjos permanecem como tropa militar em prontidão esperando o momento de entrarem em ação para os defender, agora considere o cuidado que devo tomar com eles.

VERGA OU QUEBRA – Alguns apontes exegéticos sobre o Salmo 18:34

Lembremos que o uso do arco como veículo para a fecha se dá puxando (vergando) a corda, ou linha que está amarrado ao arco de modo a produzir empuxo suficiente para a flecha – e isso requer habilidade, mas também força. É esta capacidade espiritual que o Senhor nos outorga: retesar o arco mais nobre e o dispor para a batalha.

EXEGESE BÍBLICA – O QUE É E COMO SE FAZ

Quem aqui não deseja ser capaz de compreender da maneira mais exata possível o texto bíblico?

Quem não quer possuir as melhores bases para uma construção teológica bem fundamentada? Quem não quer saber discernir o joio do trigo entre tantas coisas que se dizem sobre a Escritura Sagrada? Para tudo isso, é importante, e mesmo indispensável, conhecer exegese bíblica.

É Correto: Julgar, Expor o Erro e Citar Nomes?

Muitos hoje acreditam que é errado expor o erro e citar nomes. Liberais sempre pareceram pensar assim; em tempos recentes [a partir das décadas de 1940 e 1950?] este pensamento anti-bíblico passou a ser amplamente abraçado por evangélicos [falamos em geral] e por pentecostais/ carismáticos. Agora [a partir das décadas de 1970, 1980?] estamos vendo esse mesmo erro fatal sendo proclamado e defendido por aqueles que dizem ser fundamentalistas crentes na Bíblia.