Parábola das coisas – o motor

O ponto de partida da comparação é a realidade de que o motor é sempre parte de um todo maior. Não faz sentido ter um motor que não esteja devidamente colocado em um carro. E nem aquele conjunto de coisas será de verdade um automóvel sem que nele esteja colocado um motor.

Parábola das coisas – o motor

O ponto de partida da comparação é a realidade de que o motor é sempre parte de um todo maior. Não faz sentido ter um motor que não esteja devidamente colocado em um carro. E nem aquele conjunto de coisas será de verdade um automóvel sem que nele esteja colocado um motor.

Parábola das coisas – um chinelo

Já pensou que seguir a Cristo também tem que ser assim: como um chinelo. A vida cristã é para ser uma experiência vivida como algo tão íntimo e pessoal como um chinelo: familiar e bem à vontade!

O vemtilador

Agora que chegamos a março e o calor parece estar me derretendo, qualquer coisa que me traga um pouco de alívio é sempre bem-vindo. E é aqui que o ventilador encontra seu valor. Ali, girando na dele. O ventilador é um bom companheiro para o verão.

Parábola das coisas – O TRAVESSEIRO

Quando a noite chega e a sós com meus pensamentos, lembranças, ideias e reflexões, apenas o travesseiro embala meu sono. Então a pergunta final é inevitável: de pedra ou de pluma, onde tenho reclinado minha cabeça?

O amor de um pai pode ser inacreditavel

O amor de um pai não se perde tão fácil, descubra na história uma forte superação e um amor incalculável.

Parábola das coisas – O CUSCUZ

Se você não nasceu ou morou por estes lados, talvez não saiba o que é cuscuz. Então deixe-me lhe dar uma dica – tentando explicar para quem nunca viu ou experimentou: cuscuz é uma espécie de bolo, feito com farinha de milho em banho-maria (acho que o nome é esse). Em geral se come acompanhado, salgado ou doce, mas que é bom de todo jeito.

O filho pródigo – versão africana

Um homem e sua esposa tinham dois filhos dos quais sentiam muito orgulho. O mais velho arava a terra, plantava, colhia e tomava conta do gado. Trabalhava desde a manhã até a noite. Certo dia, o filho mais novo disse ao pai: “dá-me a parte do gado que me pertence. Desejo dirigir a minha própria vida”.
Esta versão foi contada por Paul John Isaak, da Namíbia, e eu a encontrei no “Comentário Bíblico Africano”, publicado no Brasil em 2010.

Parábola das coisas – OS ÓCULOS

Numa primeira vista – com o perdão do trocadilho! – os óculos bem poderiam simbolizar os anteparos que a cultura, a sociedade ou a religião colocam diante dos olhos e condicionam o nosso modo de ver as coisas. Também penso que não seria de todo forçar uma interpretação fazer uma ligação entre a maneira como vemos as coisas e o que elas realmente são, sendo os óculos uma espécie de parábola da Alegoria da Caverna de Platão.

O Espelho

Reflexos, espelhos, olhares, ideias, imagens. Observou? Este é o nosso mundo. Vivemos entre as palavras e as imagens. Elas parecem que não somente contam o que é o nosso mundo mas também dão forma e conteúdo a ele.