Uma pequena reflexão

Será que realmente estamos atentos ao ouvir a voz de Deus? E se estamos, onde estamos buscando?
Vale a pena ler um breve testemunho de como estamos vivendo hoje em relação ao ouvir o falar de Deus.

Religiões: muitas, imperfeitas e ineficazes

Religião: Do latim religare, significando religação com o divino. Geralmente é definida como um sistema de crenças [dogmas] e de práticas [ritos] relativos ao sentimento da divindade ou realidade sagrada e que une na mesma comunidade moral [povo, grupo, casta, denominação, igreja] todos aqueles que a ela aderem. Essa definição engloba necessariamente qualquer forma de aspecto místico e religioso, abrangendo seitas, mitologias e quaisquer outras doutrinas ou formas de pensamento que tenham como característica fundamental um conteúdo metafísico, ou seja, de além do mundo físico.

O livro de Jó, no capítulo 42, traz uma das mais belas declarações feitas por um homem a respeito de Deus: “Meus ouvidos tinham escutado falar de ti, mas agora meus olhos te viram” (v.5). Trata-se de uma declaração não somente linda, mas contundente, que transmite a idéia de que algo muito profundo acontecera no mais íntimo de Jó, e que ele, a partir de então, passara a ter uma profunda comunhão com Deus. Muitos que lêem tal declaração subentendem que Jó tenha tido uma revelação sobrenatural de Deus, algo transcendente, místico, extra-sensorial, ultra-espiritual, um êxtase.

E se Deus te escolhesse para ser o próximo Jó?

O início da narrativa do livro de Jó aponta Jó como um homem estabilizado na vida, tanto material como espiritualmente, coisa que todos nós buscamos. Uma família abençoada, bens que garantiam uma sobrevivência tranquila e uma vida espiritual exemplar (Jó 1. 1-5).

Ler Online: O Enigma da Graça

O livro de Jô, talvez o mais antigo livro da Bíblia, fala de um patriarca, de um caminho, bom pai, próspero e alvo de uma “aposta” entre Deus e Satan.