Quando terminou o sábado – Mensagem da Páscoa

Marcos em seu evangelho inicia a narração da ressurreição observando que quando terminou o sábado algumas mulheres retomaram o processo de sepultamento do corpo de Jesus, interrompido pela chegada do sábado.

Carta aberta ao Papa Bergoglio

Recentemente as redes sociais às quais tenho acesso se viram abarrotadas de ruído com comentários sobre tua Homilia nas Vésperas com sacerdotes e religiosas, proferida no último dia 24 de setembro na St Patrick’s Cathedral, em Nova Iorque. A expressão em questão foi a tua declaração sobre “o fracasso da cruz!” (a exclamação é por minha conta).

Cuidado! Muitos tem vacilado e perdido um bem precioso!

O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína.
Provérbios 13:3

Leia a reflexão semanal em nosso blog: www.diantedoreino.blogspot.com.br

Afinal, qual a distância entre Deus e o homem?

A confissão diante do Altíssimo retira a carga espiritual negativa que nos impede de caminhar nos Seus planos.

De Um Símbolo De Medo Para Um Símbolo De Fé

Imagino, às vezes, quantos cristãos param para refletir sobre o quanto é estranho que crucifixos sejam usados como objetos de arte. Crucifixos adornam igrejas, pinturas clássicas, escultura e até jóias. Pense por um momento o que o crucifixo era originalmente. Era uma forma de execução. Na verdade, era, e ainda é, uns dos meios mais medonhos de execução já inventado pelo homem. Tão terrível que era reservado para o mais baixo dos baixos: escravos, piratas e rebeldes. Cidadãos romanos eram isentos. Romanos cultos consideravam um assunto indigno de ser tratado em uma conversa educada. Apesar disso, hoje usamos esse símbolo de morte degradante e humilhante em volta dos nossos pescoços. A natureza chocante disso não é imediatamente aparente para nós porque, com o tempo, o símbolo da cruz perdeu muito das suas conotações originais. Para ter uma ideia da esquisitice, imaginem pessoas usando colares com pingentes de guilhotina ou uma cadeira elétrica.

O que aconteceu, então, que explica essa mudança? Nós sabemos que Jesus foi morto numa cruz romana, mas o que há na morte dele que transformou o símbolo de horror num símbolo de esperança?

A Primeira Palavra De Cristo Na Cruz

“E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” Lucas 23:34

Nosso Senhor estava suportando naquele exato momento as primeiras dores da crucificação; os verdugos acabaram de meter os cravos em Suas mãos e pés. Além disso, Ele deve ter ficado grandemente deprimido e reduzido a uma condição de extrema debilidade pela agonia da noite no Getsemani, e pelos açoites e as cruéis zombarias que tinha suportado de Caifás, de Pilatos, de Herodes e dos guardiões pretorianos no decorrer de toda aquela manhã. No entanto, nem a debilidade do passado nem a dor do presente impediram que Jesus continuasse em oração. O cordeiro de Deus guardava silêncio com os homens mas não com Deus. Emudeceu como ovelha diante de Seus tosquiadores, e não tinha nem uma palavra a dizer em defesa própria diante de homem algum, mas continuava clamando a Seu Pai em Seu coração, e nem a dor nem a debilidade podem calar Suas santas súplicas.

A CRUZ NÃO É ORTOPÉDICA

Quando falamos em ortopedia falamos em algo moldável, em algo que se ajustam as necessidades de quem procura por ela.
Por exemplo, uma bengala, uma muleta, um sapato etc.
A ortopedia existe para ajudar os que por alguma enfermidade carecem dessa ajuda.Um pé torto precisa de botas ortopédica

Veja a lista de Produtos Ortopédicos e Diversos:

Cadeira de rodas, Cadeira de Banho, Muletas (Aluguel/ Venda), Bengalas, Meias MEDICINAIS, Joelheiras, Tornozeleiras, Luvas p/ Procedimento,Máscara,Produtos p/ Coluna,Colar Cervical,Palmilhas de Silicone,Calcanheiras P/ ESPORÃO,Massageadores…

Agora , eu notei uma coisa .

NESSA LISTA NÃO ESTA A CRUZ , E ISSO SIGNIFICA QUE A CRUZ NÃO É ORTOPÉDICA , ELA NÃO SE MOLDA AO CRISTÃO , MAS O CRISTÃO DEVE SER MOLDADO POR ELA.

Leva-me pra Cruz

Assim como o mundo que nos rodeia é feito de facilidades, nós cristãos estamos querendo facilitar o evangelho de Cristo excluindo dele o objeto da nossa salvação, a cruz. Assim como Cristo renunciou a si mesmo tomou a sua cruz, mesmo não sendo merecedor dela, se humilhou e morreu por nós (Filipenses 2.8) por amor, nós também devemos todos os dias tomar a nossa cruz por amor a Jesus.