Vamos à casa do Senhor

Daí a compreensão de que culto é memorial dos atos poderosos de Deus na história, é gratidão pela libertação, é submissão à soberania inconteste de Jesus e é celebração pela vitória final de Cristo e suas hostes. Agora fazem sentido as palavras do salmista: “Alegrei-me com os que me disseram: Vamos à casa do Senhor!” (Sl 122:1).

Jabulani

Passada uma semana da tragédia que vitimou mais de setenta pessoas ligadas à Associação Chapecoense de Futebol – e a comoção que se seguiu – e para que também a dor não caia na vala comum do esquecimento; quero publicar aqui este texto que escrevi em junho de 2010, no ensejo da Copa do Mundo de Futebol ocorrida naquele ano na África do Sul. Com ele eu me solidarizo com os que choram (Rm 12:15), acreditando porém que relembrar motivos de celebração pode ajudar neste momento de perda e dor; orando ainda para o Senhor confortar os corações enlutados.

O culto como encontro com Cristo

Regularmente a Igreja de Cristo se reúne para celebrar e cultuar a Deus e isto é feito no meio da coletividade cristã. É na comunhão dos santos que este grupo se faz Igreja, e o faz reunido como um encontro sagrado: isto é o Culto – o encontro sagrado da igreja.

Culto como celebração festiva

Entre as configurações do culto, talvez a mais conhecida e também a mais expressiva é caracterizar o Culto como celebração! Sempre que o povo de Deus se reúne, o faz para celebrar ao seu Deus. A celebração – ou comemoração – é uma das essências principais do culto cristão.

Celebrações e missões

O chamado missionário da igreja à proclamação deve não só impingir na igreja o ardor por fazer de todas as nações verdadeiros adoradores da glória de Deus, como também ela mesma adotar uma postura de adoração e celebração que visam única e exclusivamente a glória de Deus.

A grande celebração

Gosto muito de celebrar a Ceia do Senhor com a minha igreja. Ela é um momento singular na vida, na comunhão, na adoração e nas celebrações da igreja de Cristo. O coração se enche de solene alegria e nunca faltam motivos para celebrar.