Requiem de Mozart

Para a hora de sua morte, Mozart pediu repouso para sua alma aflita e cansada. E penso que é isso que me toca. Em última análise, o que mais quero é, depois do atropelo e correria cotidiana, do cansaço e da vida insana, que a graça me envolva em seu repouso – dá-me, Senhor, repouso eterno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *