E não se canse de fazer o bem, por pior que sejam as frustrações que você tenha em troca – Por Fernando Macedo

E não se canse de fazer o bem, por pior que sejam as frustrações que você tenha em troca

É interessante que você faça o bem, ou faça algo de bom a alguém sem esperar nada em troca, mas faça isso sempre! Às vezes você faz por puro prazer, outras vezes pela necessidade do receptor, e algumas outras vezes algumas pessoas o fazem para satisfazer a sua alma ou mesmo sustentá-la com o sentimento de superioridade sobre algo ou alguém (o que definitivamente é reprovável). De qualquer modo, ajudar nunca será ruim para quem o faz, salvo quando sua motivação é contraria a singeleza do gesto de se doar, de fazer por amor, e amor ágape que está ligado a fazer independente do receptor ser assim ou assado, do receptor reconhecer ou não reconhecer o sue gesto, você simplesmente faz.

Certa vez uma pessoa me emprestou um determinado valor em dinheiro, como no momento eu tinha condições o fiz, mas fiz interiormente não como empréstimo, mas como uma doação, sem que a própria pessoa esperasse a cobrança, o resultado disso foi maravilhoso para mim mesmo, quando em certo momento, não tinha sequer um “realzinho” no bolso, e de repente depois de certo tempo e no momento em que eu mais necessitava, a pessoa que eu havia emprestado me procurou para devolver o valor, mas que nem mesmo eu lembrava mais, ou seja, eu havia feito sem esperar o retorno, e o que sucedeu foi que indiretamente fui salvo pelo meu próprio gesto, a quantia era alta, e me socorreu por um longo período, fui fruto da “teoria da colheita”, tudo que se planta se colhe, a semeadura é opcional mas a colheita é obrigatória para boas ou más ações.

Quem quer que ajude o receptor “ajudado” na esperança de um retorno de gratidão ao menos no coração do próprio ajudado, com certeza se frustrará, mas o pior é quando você por algum motivo não o pode fazer, ah, sem dúvida isso será amargo, e você poder ser inclusive criticado. Incrivelmente, ou ironicamente a pessoa quem mais odeia outra é a que normalmente foi a mais ajudada.

Se eu tomasse uma decisão de parar de fazer o que faço de bom a alguém, em razão das “recompensas” (troco de amarguras e ingratidões) que tive e ainda tenho, e que não são poucas, eu teria perdido a oportunidade de ser um instrumento de Deus, agente de Deus para as pessoas e indiretamente para mim mesmo. “Não te deixes vencer pelo mal, mas vença o mal com o bem.”

Que este mal da ingratidão ou amargura não lhe contamine, e tente lembrar do cuidado de Deus para com você.

E por isso não se canse de fazer o bem, pois você poderá ser tentado a desistir de ajudar as pessoas sob alegação do cansaço das indiferenças e ingratidões;

Não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos se não houvermos desfalecido. Galátas 6:9

Ao Deus que sempre nos amou incondicionalmente,

Um forte habacuque ;

Sds

Em Cristo, Fernando Macedo

O servo menor

Fernando Macedo, é Pastor do ministério IBCP, Ativista GreenPeace, Gestor de Segurança Empresarial Formado pela FIB, Consultor de Segurança, e ministra palestras em igrejas, colegios e eventos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *