MISSÕES O NOSSO DESAFIO (Is 52:7)

INTRODUÇÃO: Missões é o assunto central das escrituras.Missões, sempre foi é e será a realidade máxima de Deus para salvar o homem perdido.
Missões é morte do ego e do eu.
Missões é a atitude
Isaias no canon sagrado é conhecido como um dos profetas maiores, isto pela extenssão de seu ministério, assim como de suas profecias, profetizou por longos cinqüenta anos durante os reinados de quatros reis de Juda, sendo eles: Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias. Portanto, aqui no capitulo 52 e verss 7 de seu livro, ao penssarmos sobre missões encontraremos ricas e preciosas lições para este tempo do fim.
I. A 1ª LIÇÃO: É A EXPRESSÃO DA 1ª FRASE QUE DIZ; “Com suave são sobre os montes os pés”.
1. Dentro de um contexto missionário esta expressão esta falando de ação, de movimento e de atitude – Pés fala de movimento, foram criados para proporcionarem ao corpo a possibilidade de locomossão, movimento.
1.1. Jesus sempre foi o maior exemplo de atitude, de ação, de movimento na ação missionária – em Mt 9:35, nos diz que ele; “percorria todas as cidades e aldeias, ensinando nas cinagogas…
1.2. Jesus foi preciso e enfático contraditório e imperrativo com os discípulos ensinandos-os acerca da realidade da seara – Jo 4:35.
1.3. Em Jo 9:4 ele disse; “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar”.
2. O evangelho é eterno mais não temos a eternidade para prega-lo.
2.1. A igreja primitiva em seu tempo tinha consciência que missões era uma obra de ação, de atitude e movimento – Em At diz-nos que eram atuantes; “nas casa, nas ruas e nos templos”.
2.2. Em At 8 relata-nos; “os que endavam disperssos iam por toda a parte anunciando a palavra” – “E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo”.
2.3. Depois de Cristo, a Bíblia nos apresenta o apostolo Paulo como o maior missionário, portanto seu segredo era a consciência que missões eram uma obra de atitude, ação e movimento.II. A 2ª LIÇÃO: É A EXPRESSÃO QUE DIZ; “Sobre os montes”.1. Montes falam-nos de terrenos íngremes, lugares de perigos, onde exige-se preparo, disposição e esforço por serem lugares muitas vezes de difícil acesso.1.1. Portanto, dentro de um âmbito missionário, montes aqui esta falando da realidade do mundo, da humanidade perdida onde esta estabelecido o campo da ação missionária.
1.2. Deixa eu mostrar a vocês a realidade destes montes, deste campo, onde caminha com suavidade os pés do missionário. Existe hoje, cerca de;
– 170 milhões de pessoas viciadas no álcool.
– 150 milhões de pessoas vivendo a doença do século.
– 50 milhões de homossexuais.
– 30 milhões de lesbicas.
– 1 milhão de adolescentes grávidas a cada ano.
– Meio milhão de fugitivos das penitenciarias de nossa nação brasileira, quando cerca 400 mil estão encarcerados em nome da lei. – 2 bilhões e 300 milhões de vidas que ainda não foram alcançados.- 96% ou 97% da população do mundo morre e vai para o inferno.
1.1. Somente a suavidade dos pés do missionário sobre os montes é a solução para este mundo, esta humanidade perdida.
III. ESTE É O TEMPO DE AGIRMOS EM MISSÕES
1. O tempo de;
1.1. Noé, o pregoeiro da verdade, já passou.
1.2. Abraão, o pai na fé, também já passou.
1.3. Moisês, o missionário do deserto, também já passou.
1.4. Josué, o missionário dos desafios, também já passou.
1.5. Profetas maiores, menores e os apóstolos, também já passou.
1.6. Igreja primitiva e medieval, também já passou.
1.7. Mudy, Finey, Wesley, também já passou. Este é o nosso tempo.
2. Estamos vivendo em um tempo marcado pela destruição, onde obreiros da iniqüidade, missionários das trevas trabalham incanssavelmente trazendo :
– A apostasia.- O vento da frieza espiritual.- O artificialismo.
– Um evangelho, apresentando Deus, como um Deus banqueiro, um Deus agiota.- Existe hoje cerca de;- 4 milhões de testemunhas de Jeova.- 10 milhões de mórmons.- 200 milhões de espíritas.- 1 bilhão de muçulmanos.- 10 mil seitas apregoando inverdades acerca de Deus e do espiritual.
2.1. O resultado de tudo isso é o homem catalogando em suas experiências de vida a desgraça, a ruína, a amargura e a destruição.
CONCLUSÃO: Façamos missões, eis ai o nosso grande desafio.

Pr. Geremias dos Santos
Recebi do Senhor, na ocasião do congresso de missões na cidade de Fraiburgo/SC. Ano – 2009

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *